sexta-feira, agosto 27, 2004

Só os lírios sabem

Meu corpo é cheio de farpas
Os dedos que me tocam, são
grossos e imperfeitos como joelhos.
Guardo, centenas de marcas
algumas cartas, uma canção.
Sei que errávamos e éramos
ainda amantes jovens
frágeis como coelhos.

Marina Ráz

2 comentários:

Anônimo disse...

gostei muito de seus poemas, gostaria de sabe se você já pensou em publicar um livro

Boaz ben Av disse...

Farpas e colehos, maciez e rudeza.
Bela técnica!